Instrumentos financeiros – Conceitos básicos das normas IFRS
A finalidade deste artigo é resumir os pronunciamentos técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis e orientar os usuários contábeis que não estejam familiarizados com as terminologias dos instrumentos financeiros. É bom salientar que os assuntos aqui tratados são básicos e não exime a leitura integral dos pronunciamentos acima.

Os instrumentos financeiros são tratados nos seguintes pronunciamentos técnicos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC):

  • CPC 14 – Instrumentos financeiros: reconhecimento, mensuração e evidenciação.
  • CPC 38 – Reconhecimento e mensuração.
  • CPC 39 – Apresentação.
  • CPC 40 – Evidenciação.

O CPC 14 trata de um resumo dos pronunciamentos técnicos nº 38, 39 e 40, contendo os principais institutos (existem omissões, mas não incoerências). Com as emissões dos três novos pronunciamentos, o CPC 14 foi transformado em orientação (OCPC 03) e deixa de ter aplicabilidade (continua sendo útil para as empresas que possuem instrumentos financeiros não muito complexos).

Para compreensão do assunto, dividimos este texto em quatro tópicos:

1) Definições

As definições são de fundamental importância para o entendimento dos instrumentos financeiros.

Instrumento financeiro: é um contrato que da origem a um ativo financeiro, a um passivo financeiro ou um instrumento patrimonial.

Ativo financeiro: é um ativo que contém as seguintes características:

  • Caixa.
  • Um instrumento patrimonial de outra entidade.

Por exemplo: investimento, participação no patrimônio líquido, tais como: ações, quotas, bônus e subscrições de ações.

  • Direito contratual de receber caixa ou outro ativo financeiro de outra entidade ou de trocar ativos ou passivos financeiros com outra entidade em condições potencialmente favoráveis.
  • Um contrato que pode ser liquidado em títulos patrimoniais da própria entidade.

Em resumo, um instrumento financeiro ativo não é um bem de uso (como imóvel) e sim um instrumento de troca.

Passivo financeiro: é um passivo que estabelece:

  • Uma obrigação contratual de entregar caixa ou outro ativo financeiro a outra entidade.
  • Trocar ativos ou passivos financeiros em condições que são potencialmente desfavoráveis.
  • Um contrato que pode ser liquidado em ações da própria empresa.

Instrumento patrimonial: deve obedecer duas condições.

  1. O instrumento não possuir obrigação contratual de:
    • Entregar caixa ou outro ativo financeiro à outra entidade.
    • Trocar ativos financeiros ou passivos financeiros com outra entidade sob condições potencialmente desfavoráveis ao emissor.
  2. Se o instrumento será ou poderá ser liquidado por instrumentos patrimoniais do próprio emitente, é:
    • Um não derivativo que não inclui obrigação contratual para o emitente de entregar um numero de seus próprios instrumentos patrimoniais.
    • Um derivativo que será liquidado pelo emitente por meio da troca de um montante fixo de caixa ou outro ativo financeiro por numero fixo de seus instrumentos patrimoniais.

Em resumo um instrumento patrimonial não pode implicar em a entidade ter que entregar caixa ou outro ativo financeiro a outra entidade.

Instrumento financeiro derivativo: possui três características simultâneas.

  1. Investimento inicial nulo ou muito pequeno.
  2. Estão baseados em um ou mais itens subjacentes (que não se manifesta, mas está oculto ou submetido).
  3. Serão liquidados por diferença (pelo liquido) em data futura.

2) Classificação e reconhecimento dos instrumentos financeiros

Os instrumentos financeiros possuem as seguintes categorias:

  • Ativo financeiro ou passivo financeiro mensurado pelo valor justo por meio de resultado.
  • Investimentos mantidos até o vencimento.
  • Ativos financeiros disponíveis para a venda.
  • Empréstimos e recebíveis.

Para atender as categorias acima, os instrumentos financeiros devem satisfazer qualquer das seguintes condições:

Categoria: Condições que devam ser satisfeitas:
i)          Ativo financeiro ou passivo financeiro mensurado pelo valor justo por meio de resultado; ·        Classificado como mantido para negociação, ou seja:-com explicita finalidade de venda ou recompra em prazo muito curto. -parte da carteira de instrumentos financeiros que são gerenciados em conjunto e para os quais existe evidencia real recente de tomada de lucros a curto prazo, ou; ·        No momento do reconhecimento inicial é designado pelo valor justo por meio do resultado. 
ii)        Investimentos mantidos até o vencimento; ·        São ativos financeiros não derivativos com pagamentos fixados ou determináveis e maturidade fixada que a entidade tem a intenção positiva e a capacidade de manter até o vencimento; exceto os que a entidade classificou inicialmente no item iiiiou iv. 
iii)      Ativos financeiros disponíveis para a venda; e (Classificação intermediária) ·        São instrumentos que não se enquadram em outras categorias e para os quais a entidade possui a opção de negociar ou não antes do vencimento. 
iv)      Empréstimos e recebíveis. ·        São ativos financeiros e não derivativos com pagamentos fixados ou determináveis que não estão cotados em mercado ativo. São títulos gerados na atividade normal da empresa e que não possuem a característica de negociação em mercados organizados. 

3) Mensuração

Na mensuração inicial, os instrumentos financeiros devem ser mensurados pelo seu valor justo (o que normalmente coincide com seu valor de aquisição) mais os custos incorridos para a sua obtenção (caso dos instrumentos financeiros mantidos até o vencimento).

A mensuração subsequente dos instrumentos financeiros irá depender de sua classificação, da seguinte forma:

Classificação Mensuração Subsequente Impairment
i) Mensurados pelo valor justo através do resultado Mensurado como o seu próprio nome indica (valor justo com contrapartida direto no resultado).  

 

Classificação Mensuração Subsequente Impairment
ii) Investimentos mantidos até o vencimento Custo histórico amortizado sendo o reconhecimento pela taxa efetiva da operação.  

 

O reconhecimento da receita se dá pela apropriação da taxa de juros efetiva pelo passar do tempo. Não se tem a mensuração do valor de mercado desse instrumento, dado que a intenção da entidade é ter os títulos até o vencimento.A quantia da perda deve ser reconhecida no resultado.

Classificação Mensuração Subsequente Impairment
iii) Disponíveis para a venda (Classificação intermediária) A entidade disponibiliza os títulos para venda, mas essa não é usual. Valor justo com contrapartida em conta de “ajuste de avaliação patrimonial (patrimônio liquido)”.  

 

Esses instrumentos recebem a apropriação das receitas ou despesas conforme sua natureza (juros, variação cambial, etc…) e, depois de ajustados por esses valores que têm como contrapartida normalmente o resultado período. São ainda ajustados ao mercado (esta parte não vai contra resultado, e sim conta Ajuste de Avaliação Patrimonial. A apropriação se dá quando vendido ou reclassificado para o grupo “mensurados pelo valor justo através do resultado”.

Os empréstimos e recebíveis podem ser classificados nesta categoria se a intenção da Entidade for de negociação.A perda cumulativa que foi reconhecida diretamente ao capital deve ser removida do capital e reconhecida no resultado.

Classificação Mensuração Subsequente Impairment
iv) Empréstimos e recebíveis Custo histórico amortizado com a utilização da taxa de juros efetiva (pela “curva” do titulo, considerando a taxa efetiva de juros). (contrapartida receita ou despesa financeira)A quantia da perda deve ser reconhecida no resultado.  

Impairment: assim como os demais ativos, a entidade deve avaliar em cada balanço se existe prova objetiva de que um ativo financeiro, ou um grupo de ativos financeiros, está sujeito à perda no valor recuperável.

4) Evidenciação

As entidades devem fornecer informações suficientes para que os usuários possam avaliar:

  • A importância dos instrumentos financeiros na posição patrimonial e a performance da entidade.
  • A natureza e a extensão dos riscos oriundos das operações com instrumentos financeiros e a maneira pela qual a entidade administra esses riscos.

É fundamental que esses objetivos sejam cumpridos pela política de evidenciação da companhia.

Deve-se evidenciar, no balanço patrimonial ou em notas explicativas, o valor contábil de seis categorias de instrumentos financeiros no CPC 38:

  • Ativos financeiros mensurados pelo valor justo através do resultado.
  • Investimentos mantidos até o vencimento.
  • Empréstimos e recebíveis.
  • Ativos financeiros disponíveis para a venda.
  • Passivos financeiros mensurados pelo valor justo através do resultado.
  • Passivos financeiros mensurados pelo custo amortizado.

Por exemplo, se um passivo financeiro foi mensurado pelo valor justo através do resultado, a entidade deve evidenciar o impacto de variações no risco de crédito.

Para atingir o objetivo da avaliação da natureza e extensão dos riscos oriundos dos instrumentos financeiros, a entidade deve realizar uma série de evidenciações, quantitativas e qualitativas, a respeito dos riscos de credito, liquidez, mercado e outros.

No que tange a análise de sensibilidade, a instrução normativa CVM 475/08 obriga as entidades apresentarem de forma prospectiva, as perdas que a entidade poderá sofrer advindas de suas operações com derivativos considerando três cenários:

1º cenário: perdas esperadas no caso de cenário considerado como provável.

2º cenário: a entidade deve supor uma variação adversa de 25% em torno do valor estimado no cenário 1.

3º cenário: situação que haveria movimento adverso de 50% em relação ao cenário original.

Remerson Galindo de Souza
Sócio-diretor de Auditoria
BLB Brasil Auditores e Consultores

 

Curso IFRS para PME

More in this category: Qual a diferença entre demonstração financeira e contábil? » Existe diferença na tributação do ICMS de loja física e online? » 9 estilos de liderança e qual é mais recomendado para cada situação » Saiba por que há normas contábeis mais restritas para PMEs » Veja o que fazer para cumprir a NBC PG 12 – Educação Continuada para Contadores » Entenda melhor o recolhimento da CSLL » 7 tendências de tecnologia para a área contábil » O que fazer para evitar passivos trabalhistas? » Liderança: artigo de luxo no planeta » Quais são os ativos obrigados ao Teste de Recuperabilidade (impairment)? » Como se preparar para ser um auditor contábil? » É melhor ser um contador autônomo ou abrir um escritório? » Saiba estruturar uma controladoria contábil nas empresas » Como a liderança impacta diretamente a motivação de uma equipe » Entenda como o Open Banking vai mudar os serviços de contabilidade » 8 erros de um fechamento contábil mensal que você deve evitar » Você está preparado para as mudanças que o eSocial vai provocar? Veja aqui! » Você sabe mesmo estudar? Saiba montar um planejamento de estudo mais produtivo » Afinal, o que é o passivo ambiental? » 3 novas normas contábeis para 2018 » Veja por que você deve investir em sua própria capacitação profissional » Compreenda a importância da educação continuada nas empresas » Saiba como funciona uma auditoria SPED! » O que é a tabela CFOP e qual a sua funcionalidade? » Saiba mais sobre os benefícios do planejamento patrimonial e societário » Profissional controller: entenda a importância de ter um em sua empresa » Quanto vale meu negócio? Aprenda a calcular o valor da empresa » Entenda como funciona a contabilidade fiscal de uma vez por todas » O que é EBITDA e como fazer seu cálculo corretamente? » 5 relatórios gerenciais imprescindíveis para qualquer negócio » O uso dos certificados digitais gera vantagem competitiva! Entenda como isso ocorre » O que é contabilidade rural? » Treinamento de liderança: por que devo investir? » Confira essas 7 carreiras de sucesso no mercado financeiro! » 5 erros nos lançamentos contábeis que as empresas ainda cometem » Confira 9 técnicas de negociação para colocar em prática na sua empresa » O que é SPED fiscal? Saiba como gerá-lo com sucesso! » Como ter um efetivo desenvolvimento de liderança na empresa? » Carreira de contabilista: tipos de cargos, dicas de cursos e especializações » Ativo intangível: reconhecimento contábil » CPC-01: Redução do Valor Recuperável de Ativos » Plano de carreira para o contador: como fazer e qual sua importância » Quais as vantagens das leis de incentivos fiscais? » Contabilidade empresarial: o que é? » O que é o CPC 29 e quais as definições sobre Avaliação de Ativos Biológicos e Produtos Agrícolas? » A importância da avaliação dos índices contábeis de uma empresa » Capacidade técnica como base de liderança para o sucesso do negócio » Como ser um líder nos dias de hoje? » Confira aqui alguns mitos e verdades sobre o ensino a distância » Você sabe mesmo o que é contabilidade de hedge? » O que todo empreendedor contábil deve saber sobre o SPED! » 7 dicas para melhorar a sua produtividade no trabalho » Abertura de mercado de capital: entenda o processo com facilidade! » Como funcionam os cursos apostilados? » Quais as decisões contábeis mais importantes para aquisição de empresa? » É melhor fazer um curso presencial ou online? » SPED Contábil: o que é e como funciona? » Contabilidade Agropecuária: você sabe como funciona? » Conheça a diferença entre habilidade e competência » Guia grátis – Guia de sucesso para capacitação na área contábil » Entenda mais sobre a aplicação de BI para área de contabilidade » Segurança da informação: o que é e como mantê-la no setor contábil? » 8 competências profissionais que todo bom contador deve buscar » Due Diligence: você sabe o que é e como interfere na área contábil? » Cursos online: descubra como é a aceitação no mercado de trabalho » Treinamento de equipe: como executá-lo em sua empresa? » Qual a importância da tecnologia para a área contábil? » eBook grátis – Manual Definitivo do eSocial: entenda qual é o impacto nas empresas » Disciplina nos estudos online: o passo a passo para estudantes de EaD » Entenda como fazer uma gestão de custos e preços eficiente » Ativo e passivo: saiba como mensurar os resultados » Saiba como usar os incentivos fiscais para o crescimento empresarial » Regime de caixa e regime de competência: veja as diferenças e saiba como usá-los » Conheça 7 dicas para ter uma área de contabilidade melhor » Entenda a importância das demonstrações contábeis » Qual o papel do Controller na gestão empresarial? » Demonstração do resultado do exercício: como fazer para ter um 2017 de sucesso? » Descubra diferentes formas de obter uma atualização profissional » Conheça 7 livros de contabilidade gerencial mais relevantes no mercado » Saiba a importância do fechamento mensal em uma empresa e veja como fazer » O que é balanço patrimonial e como aplicá-lo? » eBook grátis Manual Definitivo da Auditoria Contábil » Conheça as alterações para declarar o imposto de renda de 2017 » CMV: o que é e como calcular » Cancelamento de Nota Fiscal: entenda mais sobre o assunto » Conheça 10 vantagens do planejamento tributário para uma empresa » Entenda tudo sobre compliance » Ainda vale a pena fazer um curso presencial? » Veja como preparar a sua equipe para uma auditoria anual » eBook grátis ­– Guia Básico de Contabilidade para não Contadores » Saiba como montar processos de auditoria » Entenda quais são os tipos de impostos para cada tipo de empresa » Dicas para contratar um profissional de contabilidade para o time » Saiba o que é um curso eLearning » Qual é a importância da nota fiscal eletrônica? » Fundamentos de finanças corporativas para contadores » O que fazer para qualificar a contratação de funcionários? » Entenda a importância da contabilidade de custos para um negócio » Como funciona o setor de finanças empresariais? » Veja como as informações contábeis são importantes nas tomadas de decisão » Conheça as melhores práticas de treinamento de funcionários » Entenda a importância da conciliação bancária » O que é contabilidade societária? » Entenda o que é CND » Contabilidade internacional: entenda mais sobre isso » Contabilidade empresarial: o que é? » Entenda a relação entre contabilidade e certificado digital » eBook grátis – Um Guia sobre Instrumentos Financeiros na Contabilidade » Saiba o que é a DRE na contabilidade » Veja como emitir o DANFE » Quais são as vantagens de fazer um curso online? » Veja as dicas para quem busca profissionalização em contabilidade » Entenda o que é CMN » Entenda a importância de um planejamento tributário em uma empresa » Como anda o mercado de trabalho em contabilidade » Saiba mais sobre a adoção das IFRS para PME e a revisão proposta pelo CFC » Entenda como reestruturar uma empresa financeiramente » Como se planejar para fazer mais cursos e especializações? » Como é o trabalho em uma auditoria contábil? » IFRS para Pequena e Média Empresa » Saiba da importância da matemática financeira nas empresas » Conheça algumas dicas para estudar online » Entenda a importância da conduta ética no ambiente de trabalho » Contabilidade tributária: entenda mais sobre o assunto » O que é a escrituração contábil digital? » O que é e qual a importância do contrato de prestação de serviços? » Avaliação a Valor Justo ou Fair Value: o que você precisa saber sobre o assunto? » 8 competências profissionais que todo bom contador deve buscar » Lucro real e lucro presumido: entenda as diferenças » Balanced scorecard na contabilidade: como implantar? » Ética empresarial: saiba o que é e qual a sua importância » Guia de organização e responsabilidades do contador » Como fazer um planejamento estratégico de finanças? » 8 erros na gestão financeira da sua empresa que precisam ser evitados » O que falta saber sobre a Lei de responsabilidade fiscal? » Nova forma de fiscalização do CFC: quais são as mudanças? » Plano de carreira: como o coaching pode ajudar na sua vida profissional? » 4 indicadores financeiros para analisar a saúde financeira da sua empresa » Contador 2.0: o que você precisa saber para ser um profissional de destaque? » O que é o CPC 29 e quais as definições sobre Avaliação de Ativos Biológicos e Produtos Agrícolas? » 8 fatores que garantem uma mudança organizacional de sucesso » O que é um fundo de reserva? Descubra mais sobre esse recurso » 7 maneiras de desenvolver lideranças consistentes na sua equipe! » Contabilidade estratégica: como tornar uma empresa mais competitiva? » Nova forma de fiscalização do conselho federal de contabilidade: quais são as mudanças? » eBook – Guia Completo do Programa de Educação Profissional Continuada » Como se manter atualizado na área de contabilidade? » Ensino a distância auxilia no seu aprendizado mesmo durante a crise? » Entenda mais sobre o CPC 32: tributos sobre o lucro » Como inovar no setor de contabilidade pode alavancar os resultados da empresa? » Instrumentos financeiros: Entenda do que se trata a norma IFRS 9 » Bloco K para 2017: O que vai mudar na sua empresa e como se adequar? » Contabilidade de Hedge: entenda o conceito e como ele pode ajudar sua empresa! » Instrumentos financeiros: entenda os fundamentos » Como escolher um curso de contabilidade que atenda às suas expectativas? » Como investir na carreira e buscar uma especialização em contabilidade? » International Financial Reporting Standards: o que sua PME precisa saber » Planejamento de carreira: 7 erros que podem destruir sua vida profissional! » Qual a importância da tecnologia na contabilidade para os profissionais da área? » Quais as vantagens de um planejamento estratégico para a área de contabilidade? » 5 dicas para você deixar de ser chefe e entender como ser um líder! » 9 séries de TV que todo profissional de contabilidade precisa assistir! » O que é educação profissional continuada e por que você precisa investir nisso? » 9 práticas para fazer um networking de sucesso! » Curso de extensão em contabilidade: por que continuar estudando? » 6 tendências da contabilidade para você acompanhar » O que é PEPC? Entenda mais sobre o programa » Pare e reflita: você está satisfeito com a carreira? » Plano de contas: entenda por que é importante desenvolvê-lo! » Curso de Contabilidade online: vale a pena fazer? » Habilidades gerenciais: seja um ótimo gestor! » Como aproveitar um Curso de Contabilidade online? » Cursos In Company: o que são e por que contratá-los? » Controller: o que é e o que faz? Saiba agora! » Gestão de patrimônio: como fazer o teste de impairment » Obrigações legais referentes ao planejamento financeiro » Qual o papel da gestão da inovação nas empresas? » Liderança: é possível desenvolvê-la? » Gestão da mudança organizacional: o que é e como deve ser feita » Saiba o que um contador pode fazer por sua empresa » Guia básico de contabilidade para não contadores » Quais campos da contabilidade oferecem boa remuneração? » Por que contabilidade e gestão devem andar juntas? » Entenda as vantagens da comunicação entre os departamentos contábil e jurídico » Como o conhecimento da legislação impacta na carreira contábil? » Qual a importância da definição dos ativos fixos em sua empresa? » Você conhece o teste de recuperabilidade de ativos? » Sua empresa está pronta para o Bloco K? » Imposto de renda diferido: você sabe o que fazer nessas situações? » Por que contratar a consultoria contábil e jurídica para sua empresa? » A importância do atendimento ao cliente para os contadores » O que mudou no exercício profissional do contador? » Como abrir seu próprio escritório contábil » Contabilidade gerencial: o que é e qual sua importância » O que é e como funciona a contabilidade tributária » Conciliação bancária: o que é e por que fazer » A importância da comunicação do contador com os setores da empresa » Entenda a valorização do profissional contábil » Entenda a afirmação “a contabilidade é a língua dos negócios” » A importância da reciclagem de conhecimento para o contador » Entenda por que contadores são os grandes parceiros das PMEs » 6 filmes que todo contador deve assistir » 7 grandes contabilistas para se inspirar » 4 motivos para o contador nunca parar de estudar » 7 diferenciais que seu escritório de contabilidade deve ter » 8 motivos para fazer cursos de reciclagem para contadores » O que é preciso para abrir um escritório de contabilidade? » Norma NBC PG12: tudo o que você precisa saber sobre o Programa de Educação Profissional Continuada » 6 livros que todo profissional de contabilidade deveria ler » O que são as normas internacionais de contabilidade (IFRS)? » O que é preciso para ser um contador de sucesso? » Nova contabilidade: entenda como ela impacta os contadores » Employee Value Proposition: base para retenção de talentos » Balanço Patrimonial – O que é e qual sua estrutura? » Capital humano: é preciso investir » Gestoras de private equity estão de olho no mercado brasileiro » Regras sobre adoção de novos critérios contábeis e tributários são regulamentadas » Regime especial tributário nas incorporações imobiliárias » Fusões e aquisições de empresas: e o consumidor com isso? » Parecer normativo da RF trata da tributação das permutas de imóveis » Encargos financeiros sobre empréstimos e financiamentos » MP 627 de 2013 é convertida em lei com vedações e reabertura Refis » Usinas poderão utilizar-se de créditos PIS/Cofins » Encargos financeiros sobre empréstimos e financiamentos » Como os contadores podem acompanhar as mudanças no mercado » 8 vantagens de aprender com o eLearning »
Post anterior Como os contadores podem acompanhar as mudanças no mercado
Next Post Encargos financeiros sobre empréstimos e financiamentos
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[i]
[i]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]