fbpx

Aplicações práticas de instrumentos derivativos e não derivativosNeste artigo, faremos uma simples explicação sobre o mercado de capitais. Você também vai conhecer três exemplos de estratégias empresariais na aplicação prática de instrumentos financeiros derivativos e não derivativos

 

A despeito dos altos e baixos da economia, a participação de empresas no mercado financeiro, sobretudo em mercados emergentes como no Brasil, tem sido uma constante observada nos últimos anos. Diante desse cenário, o mercado de trabalho tem exigido dos contadores conhecimentos específicos para lidar com as novas demandas da economia globalizada.

Neste artigo, faremos uma simples explicação sobre o mercado de capitais. Você também vai conhecer três exemplos de estratégias empresariais na aplicação prática de instrumentos financeiros derivativos e não derivativos.

O mercado de capitais e o cenário econômico

Com o propósito de fomentar a capitalização das empresas, o mercado de capitais brasileiro tem na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sua agência reguladora. Valores mobiliários são produtos financeiros (de propriedade ou de crédito) criados com objetivo de favorecer a troca de recursos monetários, sejam eles na forma de crédito ou remuneração de capital.

O valor do dinheiro está diretamente relacionado com as condições do ambiente econômico do país. É possível conhecer o cenário macroeconômico por meio do estudo sistemático de variáveis relevantes como taxa de juros, índice de desemprego, inflação, taxa de câmbio, valor de commodities, entre outros.

Com base nesse criterioso relatório, é possível fazer comparações e prever as tendências de cenários futuros, permitindo planejar boas estratégias para atuar no mercado de capitais.

Veja, adiante, três aplicações práticas possíveis com os instrumentos financeiros derivativos e não derivativos.

1. A utilização de instrumentos financeiros de renda fixa como estratégia empresarial

Os instrumentos financeiros de renda fixa oferecem pagamento de remuneração, conforme taxa de juros específica, sob condições preestabelecidas. Quanto ao cálculo da remuneração, podem ser divididos em duas espécies, dependendo do prospecto da oferta. Veja alguns exemplos:

  • prefixado: o prospecto de um Certificado de Depósito Bancário (CDB) define que a remuneração será, exclusivamente, 10% sobre o capital emprestado pelo credor. Portanto, é possível calcular, com precedência e exatidão, o valor a ser recebido no vencimento;
  • pós-fixado: o prospecto de um título define que a remuneração será de 97% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Nesse caso, só será possível saber o valor exato da remuneração após o fim do período, pois a taxa de Depósito Interbancário (DI) varia e somente poderá ser calculada posteriormente.

Caderneta de Poupança é a aplicação de renda fixa mais conhecida pelos brasileiros. Sua remuneração é de 70% da Taxa do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic), somada à Taxa Referencial (TR), conforme estabelecido pela Lei 12.703/2012.

Conhecer outros instrumentos de renda fixa pode fazer toda diferença na gestão financeira de uma empresa. Vamos conhecer agora, mais dois desses instrumentos.

1.1. Debêntures

São títulos emitidos por sociedades anônimas que constituem um empréstimo em benefício de um credor. Uma empresa, ao emitir debêntures, define uma taxa de referência a ser aplicada sobre o capital recebido, bem como uma data para a devolução do valor corrigido com juros.

Além do pagamento de remuneração sobre juros, existem também os casos nos quais a tomadora de recursos oferece como garantia a conversão de títulos em ações. É importante lembrar que as debêntures são consideradas aplicações de maior risco para os padrões de renda fixa, pois não possuem cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

1.2. Certificados de Depósito Bancário (CDB)

Normalmente, são títulos emitidos por bancos comerciais para financiar suas próprias atividades. De forma geral, possuem características semelhantes aos debêntures, mas cumprem outro objetivo.

Os CDBs são utilizados como instrumentos de captação de recursos a fim de cobrir os empréstimos concedidos aos clientes bancários. São emitidos tanto por bancos públicos quanto privados.

Como possuem a cobertura do FGC, figuram como melhor opção para perfis de investidores conservadores, e estão disponíveis tanto para pessoas físicas quanto jurídicas.

2. A utilização de instrumentos financeiros de renda variável como estratégia empresarial

Instrumentos financeiros de renda variável são produtos sobre os quais não se pode calcular, previamente e com exatidão, sua remuneração. Enquanto alguns títulos de renda fixa pós-fixados oferecem, além da devolução do capital, um rendimento mínimo garantido, esses produtos variam conforme as leis de mercado e podem consumir em perdas todo o capital aplicado.

Há profissionais especializados em estimar os ganhos ou prejuízos possíveis em renda variável. Em muitos casos, uma análise bem elaborada permite decidir pela aplicação de capital em um empreendimento rentável.

2.1. Ações

São a menor fração do capital de uma sociedade anônima comercializado no mercado. Ações ordinárias conferem ao investidor acionista direito ao voto em assembleias gerais. Ações preferenciais garantem prioridade no recebimento de dividendos, porém não dão direito ao voto.

A remuneração varia em função da valorização da empresa, bem como por meio do pagamento de dividendos em decorrência do auferimento de lucro. São contabilizadas na conta de investimentos do ativo não circulante pelas empresas adquirentes.

2.2. Fundos imobiliários

É um conjunto de cotas de empreendimentos imobiliários oferecido a investidores. Um fundo imobiliário é constituído pelo investimento de múltiplos agentes credores e sua gestão é realizada por uma instituição financeira intermediária.

Um fundo imobiliário de um shopping center, por exemplo, varia sua remuneração de acordo com a valorização de mercado desse empreendimento, tornando-o menos ou mais atrativo. Geralmente, cenários de mercado imobiliário aquecidos aumentam a procura por esses contratos, tornando-os uma fonte de investimento relativamente segura e rentável para as empresas.

3. A utilização de instrumentos financeiros derivativos como estratégia empresarial

Muitas vezes relacionados à renda variável, esses instrumentos financeiros possuem características tão peculiares que são mais comumente conceituados no âmbito de mercado de derivativos. Eles foram criados devido à necessidade de mitigar riscos relacionados à variação de preços de mercado, mas também podem oferecer alto risco ao investidor leigo.

3.1. O que são derivativos?

São considerados derivativos os produtos financeiros cujo preço de mercado deriva do preço de outro bem ou instrumento financeiro. Basicamente, são contratos firmados entre as partes, que permitem trocar o valor de um ativo ou commodity, cuja grandeza esteja referenciada em outros objeto do mercado (ativo, taxa ou índice).

Operações de hedge são as estratégias adotadas pelos investidores para se proteger das oscilações de mercado. As variações de mercado representam risco para a saúde financeira e operacional das empresa. Por exemplo:

  • variação cambial (cotação do dólar);
  • mudança nas taxas de juros (taxa DI);
  • mudança no preço de uma commodity (trigo, por exemplo).

3.2. A realização de operações de hedge com contratos de swap como estratégia empresarial

Diante da dificuldade de conhecer com exatidão a cotação de uma commodity ou moeda em uma data preestabelecida, o investidor lança mão dos contratos de swap.

Por exemplo: um importador de trigo firma um contrato com o seu banco. Fica acordado que, caso o preço futuro do trigo seja superior do que o acordado, o banco pagará a diferença a ele. Caso o preço seja menor, a situação se inverte e o importador é quem pagará a diferença. Independentemente de qual seja o valor do trigo, o importador pagará um preço fixo intermediário já conhecido no momento da contratação.

Dessa forma, o empresário consegue estimar limites mais claros sobre os riscos que corre em função dos contratos estarem relacionados a indicadores consistentes. Inversamente, pode lançar mão do mesmo recurso para recuperar eventuais perdas decorrentes das variações de mercado.

Na teoria, parece que ambos têm a mesma chance de receber a remuneração, mas, na prática, o movimento do preço do ativo poderá variar conforme a conjuntura macroeconômica do momento.

Você gostou de conhecer algumas aplicações práticas dos instrumentos financeiros derivativos e não derivativos? Que tal assinar nossa newsletter e receber mais dicas relevantes por e-mail?

eBook Instumentos Financeiros

More in this category: Mapa de competências: o que é e qual a sua importância? » Tire aqui suas dúvidas sobre sucessão empresarial! » Como elaborar um programa de treinamento na sua empresa? » Entenda o impacto da tributação na tomada de decisão da empresa » Tudo sobre treinamento e desenvolvimento de pessoas em empresas » Case de sucesso: a experiência com nossos cursos EAD » O que você precisa saber sobre cultura organizacional está aqui! » Quais são os impactos de uma metodologia de ensino na formação profissional? » Transformação financeira: como liderá-la em uma empresa? » 6 sites e portais que todo contador deve conhecer » Habilidades de contabilidade: por que profissionais de outras áreas devem adquiri-las? » O que fazer para se manter atualizado no mundo contábil? » Crise econômica: 7 lições que um contador deve levar consigo para uma retomada financeira » Like a boss! Desenvolva as habilidades gerenciais necessárias para ser um ótimo gestor » Trilha de Carreira: veja como usar a ferramenta para alcançar seus sonhos! » Afinal, por que advogados devem estudar contabilidade? » 8 dicas para vencer a concorrência no mercado de trabalho contábil » Entenda o que é crime tributário e saiba como evitá-lo » Como chegar mais rapidamente em um cargo de liderança? » 9 dicas de gerenciamento do capital de giro » Arrendamento mercantil: quais são as diferenças no Brasil e no exterior? » [Case de Sucesso] BLB Brasil Escola de Negócios e Grupo Farroupilha » Crescimento horizontal e vertical: entenda suas principais diferenças » Compreenda o método GTD e saiba como ele pode ajudar você nos estudos » Diferenças e aplicações do ponto de equilíbrio contábil, financeiro e econômico » Está com alguma dívida ativa? Saiba como sair dessa! » Como as dívidas podem interferir no grau de investimento da sua empresa » Descubra as metodologias para otimização de tempo nos estudos » Panorama sobre combinação de negócios » Conheça as diferenças entre tributo e multa tributária » Você sabe o que é DVA? Entenda! » Jim Collins: 5 lições do guru da AMBEV » Contabilidade industrial: 5 dicas para você aplicar na sua empresa » Fui promovido após o curso da BLB Brasil Escola de Negócios: case de sucesso do aluno Fagner Oliveira » DMPL: o que é e qual o seu papel? » As 6 novas responsabilidades de um CFO moderno » Conheça os momentos mais estratégicos para capitalizar a empresa » Qual a diferença entre demonstração financeira e contábil? » Existe diferença na tributação do ICMS de loja física e online? » 9 estilos de liderança e qual é mais recomendado para cada situação » Saiba por que há normas contábeis mais restritas para PMEs » Veja o que fazer para cumprir a NBC PG 12 – Educação Continuada para Contadores » Entenda melhor o recolhimento da CSLL » 7 tendências de tecnologia para a área contábil » O que fazer para evitar passivos trabalhistas? » Liderança: artigo de luxo no planeta » Quais são os ativos obrigados ao Teste de Recuperabilidade (impairment)? » Como se preparar para ser um auditor contábil? » É melhor ser um contador autônomo ou abrir um escritório? » Saiba estruturar uma controladoria contábil nas empresas » Como a liderança impacta diretamente a motivação de uma equipe » Entenda como o Open Banking vai mudar os serviços de contabilidade » 8 erros de um fechamento contábil mensal que você deve evitar » Você está preparado para as mudanças que o eSocial vai provocar? Veja aqui! » Você sabe mesmo estudar? Saiba montar um planejamento de estudo mais produtivo » Afinal, o que é o passivo ambiental? » 3 novas normas contábeis para 2018 » Veja por que você deve investir em sua própria capacitação profissional » Compreenda a importância da educação continuada nas empresas » Saiba como funciona uma auditoria SPED! » O que é a tabela CFOP e qual a sua funcionalidade? » Saiba mais sobre os benefícios do planejamento patrimonial e societário » Profissional controller: entenda a importância de ter um em sua empresa » Quanto vale meu negócio? Aprenda a calcular o valor da empresa » Entenda como funciona a contabilidade fiscal de uma vez por todas » O que é EBITDA e como fazer seu cálculo corretamente? » 5 relatórios gerenciais imprescindíveis para qualquer negócio » O uso dos certificados digitais gera vantagem competitiva! Entenda como isso ocorre » O que é contabilidade rural? » Treinamento de liderança: por que devo investir? » Confira essas 7 carreiras de sucesso no mercado financeiro! » 5 erros nos lançamentos contábeis que as empresas ainda cometem » Confira 9 técnicas de negociação para colocar em prática na sua empresa » O que é SPED fiscal? Saiba como gerá-lo com sucesso! » Como ter um efetivo desenvolvimento de liderança na empresa? » Carreira de contabilista: tipos de cargos, dicas de cursos e especializações » Ativo intangível: reconhecimento contábil » CPC-01: Redução do Valor Recuperável de Ativos » Plano de carreira para o contador: como fazer e qual sua importância » Quais as vantagens das leis de incentivos fiscais? » Contabilidade empresarial: o que é? » O que é o CPC 29 e quais as definições sobre Avaliação de Ativos Biológicos e Produtos Agrícolas? » A importância da avaliação dos índices contábeis de uma empresa » Capacidade técnica como base de liderança para o sucesso do negócio » Como ser um líder nos dias de hoje? » Confira aqui alguns mitos e verdades sobre o ensino a distância » Você sabe mesmo o que é contabilidade de hedge? » O que todo empreendedor contábil deve saber sobre o SPED! » 7 dicas para melhorar a sua produtividade no trabalho » Abertura de mercado de capital: entenda o processo com facilidade! » Como funcionam os cursos apostilados? » Quais as decisões contábeis mais importantes para aquisição de empresa? » É melhor fazer um curso presencial ou online? » SPED Contábil: o que é e como funciona? » Contabilidade Agropecuária: você sabe como funciona? » Conheça a diferença entre habilidade e competência » Guia grátis – Guia de sucesso para capacitação na área contábil » Entenda mais sobre a aplicação de BI para área de contabilidade » Segurança da informação: o que é e como mantê-la no setor contábil? » 8 competências profissionais que todo bom contador deve buscar » Due Diligence: você sabe o que é e como interfere na área contábil? » Cursos online: descubra como é a aceitação no mercado de trabalho » Treinamento de equipe: como executá-lo em sua empresa? » Qual a importância da tecnologia para a área contábil? » eBook grátis – Manual Definitivo do eSocial: entenda qual é o impacto nas empresas » Disciplina nos estudos online: o passo a passo para estudantes de EaD » Entenda como fazer uma gestão de custos e preços eficiente » Ativo e passivo: saiba como mensurar os resultados » Saiba como usar os incentivos fiscais para o crescimento empresarial » Regime de caixa e regime de competência: veja as diferenças e saiba como usá-los » Conheça 7 dicas para ter uma área de contabilidade melhor » Entenda a importância das demonstrações contábeis » Qual o papel do Controller na gestão empresarial? » Demonstração do resultado do exercício: como fazer para ter um 2017 de sucesso? » Descubra diferentes formas de obter uma atualização profissional » Conheça 7 livros de contabilidade gerencial mais relevantes no mercado » Saiba a importância do fechamento mensal em uma empresa e veja como fazer » O que é balanço patrimonial e como aplicá-lo? » eBook grátis Manual Definitivo da Auditoria Contábil » Conheça as alterações para declarar o imposto de renda de 2017 » CMV: o que é e como calcular » Cancelamento de Nota Fiscal: entenda mais sobre o assunto » Conheça 10 vantagens do planejamento tributário para uma empresa » Entenda tudo sobre compliance » Ainda vale a pena fazer um curso presencial? » Veja como preparar a sua equipe para uma auditoria anual » eBook grátis ­– Guia Básico de Contabilidade para não Contadores » Saiba como montar processos de auditoria » Entenda quais são os tipos de impostos para cada tipo de empresa » Dicas para contratar um profissional de contabilidade para o time » Saiba o que é um curso eLearning » Qual é a importância da nota fiscal eletrônica? » Fundamentos de finanças corporativas para contadores » O que fazer para qualificar a contratação de funcionários? » Entenda a importância da contabilidade de custos para um negócio » Como funciona o setor de finanças empresariais? » Veja como as informações contábeis são importantes nas tomadas de decisão » Conheça as melhores práticas de treinamento de funcionários » Entenda a importância da conciliação bancária » O que é contabilidade societária? » Entenda o que é CND » Contabilidade internacional: entenda mais sobre isso » Contabilidade empresarial: o que é? » Entenda a relação entre contabilidade e certificado digital » eBook grátis – Um Guia sobre Instrumentos Financeiros na Contabilidade » Saiba o que é a DRE na contabilidade » Veja como emitir o DANFE » Quais são as vantagens de fazer um curso online? » Veja as dicas para quem busca profissionalização em contabilidade » Entenda o que é CMN » Entenda a importância de um planejamento tributário em uma empresa » Como anda o mercado de trabalho em contabilidade » Saiba mais sobre a adoção das IFRS para PME e a revisão proposta pelo CFC » Entenda como reestruturar uma empresa financeiramente » Como se planejar para fazer mais cursos e especializações? » Como é o trabalho em uma auditoria contábil? » IFRS para Pequena e Média Empresa » Saiba da importância da matemática financeira nas empresas » Conheça algumas dicas para estudar online » Entenda a importância da conduta ética no ambiente de trabalho » Contabilidade tributária: entenda mais sobre o assunto » O que é a escrituração contábil digital? » O que é e qual a importância do contrato de prestação de serviços? » Avaliação a Valor Justo ou Fair Value: o que você precisa saber sobre o assunto? » 8 competências profissionais que todo bom contador deve buscar » Lucro real e lucro presumido: entenda as diferenças » Balanced scorecard na contabilidade: como implantar? » Ética empresarial: saiba o que é e qual a sua importância » Guia de organização e responsabilidades do contador » Como fazer um planejamento estratégico de finanças? » 8 erros na gestão financeira da sua empresa que precisam ser evitados » O que falta saber sobre a Lei de responsabilidade fiscal? » Nova forma de fiscalização do CFC: quais são as mudanças? » Plano de carreira: como o coaching pode ajudar na sua vida profissional? » 4 indicadores financeiros para analisar a saúde financeira da sua empresa » Contador 2.0: o que você precisa saber para ser um profissional de destaque? » O que é o CPC 29 e quais as definições sobre Avaliação de Ativos Biológicos e Produtos Agrícolas? » 8 fatores que garantem uma mudança organizacional de sucesso » O que é um fundo de reserva? Descubra mais sobre esse recurso » 7 maneiras de desenvolver lideranças consistentes na sua equipe! » Contabilidade estratégica: como tornar uma empresa mais competitiva? » Nova forma de fiscalização do conselho federal de contabilidade: quais são as mudanças? » eBook – Guia Completo do Programa de Educação Profissional Continuada » Como se manter atualizado na área de contabilidade? » Ensino a distância auxilia no seu aprendizado mesmo durante a crise? » Entenda mais sobre o CPC 32: tributos sobre o lucro » Como inovar no setor de contabilidade pode alavancar os resultados da empresa? » Instrumentos financeiros: Entenda do que se trata a norma IFRS 9 » Bloco K para 2017: O que vai mudar na sua empresa e como se adequar? » Contabilidade de Hedge: entenda o conceito e como ele pode ajudar sua empresa! » Instrumentos financeiros: entenda os fundamentos » Como escolher um curso de contabilidade que atenda às suas expectativas? » Como investir na carreira e buscar uma especialização em contabilidade? » International Financial Reporting Standards: o que sua PME precisa saber » Planejamento de carreira: 7 erros que podem destruir sua vida profissional! » Qual a importância da tecnologia na contabilidade para os profissionais da área? » Quais as vantagens de um planejamento estratégico para a área de contabilidade? » 5 dicas para você deixar de ser chefe e entender como ser um líder! » 9 séries de TV que todo profissional de contabilidade precisa assistir! » O que é educação profissional continuada e por que você precisa investir nisso? » 9 práticas para fazer um networking de sucesso! » Curso de extensão em contabilidade: por que continuar estudando? » 6 tendências da contabilidade para você acompanhar » O que é PEPC? Entenda mais sobre o programa » Pare e reflita: você está satisfeito com a carreira? » Plano de contas: entenda por que é importante desenvolvê-lo! » Curso de Contabilidade online: vale a pena fazer? » Habilidades gerenciais: seja um ótimo gestor! » Como aproveitar um Curso de Contabilidade online? » Cursos In Company: o que são e por que contratá-los? » Controller: o que é e o que faz? Saiba agora! » Gestão de patrimônio: como fazer o teste de impairment » Obrigações legais referentes ao planejamento financeiro » Qual o papel da gestão da inovação nas empresas? » Liderança: é possível desenvolvê-la? » Gestão da mudança organizacional: o que é e como deve ser feita » Saiba o que um contador pode fazer por sua empresa » Guia básico de contabilidade para não contadores » Quais campos da contabilidade oferecem boa remuneração? » Por que contabilidade e gestão devem andar juntas? » Entenda as vantagens da comunicação entre os departamentos contábil e jurídico » Como o conhecimento da legislação impacta na carreira contábil? » Qual a importância da definição dos ativos fixos em sua empresa? » Você conhece o teste de recuperabilidade de ativos? » Sua empresa está pronta para o Bloco K? » Imposto de renda diferido: você sabe o que fazer nessas situações? » Por que contratar a consultoria contábil e jurídica para sua empresa? » A importância do atendimento ao cliente para os contadores » O que mudou no exercício profissional do contador? » Como abrir seu próprio escritório contábil » Contabilidade gerencial: o que é e qual sua importância » O que é e como funciona a contabilidade tributária » Conciliação bancária: o que é e por que fazer » A importância da comunicação do contador com os setores da empresa » Entenda a valorização do profissional contábil » Entenda a afirmação “a contabilidade é a língua dos negócios” » A importância da reciclagem de conhecimento para o contador » Entenda por que contadores são os grandes parceiros das PMEs » 6 filmes que todo contador deve assistir » 7 grandes contabilistas para se inspirar » 4 motivos para o contador nunca parar de estudar » 7 diferenciais que seu escritório de contabilidade deve ter » 8 motivos para fazer cursos de reciclagem para contadores » O que é preciso para abrir um escritório de contabilidade? » Norma NBC PG12: tudo o que você precisa saber sobre o programa de Educação Profissional Continuada » 6 livros que todo profissional de contabilidade deveria ler » O que são as normas internacionais de contabilidade (IFRS)? » O que é preciso para ser um contador de sucesso? » Nova contabilidade: entenda como ela impacta os contadores » Employee Value Proposition: base para retenção de talentos » Balanço Patrimonial – O que é e qual sua estrutura? » Capital humano: é preciso investir » Gestoras de private equity estão de olho no mercado brasileiro » Regras sobre adoção de novos critérios contábeis e tributários são regulamentadas » Regime especial tributário nas incorporações imobiliárias » Fusões e aquisições de empresas: e o consumidor com isso? » Parecer normativo da RF trata da tributação das permutas de imóveis » Encargos financeiros sobre empréstimos e financiamentos » MP 627 de 2013 é convertida em lei com vedações e reabertura Refis » Usinas poderão utilizar-se de créditos PIS/Cofins » Encargos financeiros sobre empréstimos e financiamentos » Instrumentos financeiros – Conceitos básicos das normas IFRS » Como os contadores podem acompanhar as mudanças no mercado » 8 vantagens de aprender com o eLearning »
Post anterior 6 sites e portais que todo contador deve conhecer
Next Post Transformação financeira: como liderá-la em uma empresa?

Add Comment

[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]
[CDATA[ */ function read_cookie(a) { var b = a + "="; var c = document.cookie.split(";"); for (var d = 0; d < c.length; d++) { var e = c[d]